Google+ Followers

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Se apaixonar faz parte, desapegar é arte!



Sabe aquela garota que há duas semanas atrás estava chorando e correndo atrás do ex? Essa garota se cansou, jogou tudo pro ar e resolveu viver a vidinha dela. Foi ao shopping, comprou um vestido bem coladinho, um salto 15 (que dói mais quando pisar em alguém) e um perfume pra matar qualquer um. Ligou pras amigas e se jogou na balada. Bebeu todas, conheceu um monte de garotos novos, fez o que quis, disse o que sempre teve vontade e pela primeira vez foi ela mesma. Pela primeira vez não se preocupou com o que ele ia pensar. Não se preocupou com o que ninguém ia pensar! Chegou em casa e dormiu sem se lembrar dele pela primeira vez. E é aí que começa o desapego. Essa garota parou de entrar compulsivamente nas redes sociais dele, parou de mandar SMS todos os dias pra saber como ele estava, parou de ligar pra ele no meio da madrugada.. Ela simplesmente parou de se importar. Porque a única pessoa que importava nesse momento, era ela mesma.

Sabe aquela garota que há duas semanas atrás estava chorando e correndo atrás do ex? Essa garota não existe mais. Ela virou uma mulher que tem amor próprio acima de tudo, que pensa nela antes de todos.

E sabe aquele garoto que fugia da ex e dizia para todos que não aguentava mais aquela louca chata atrás dele? Ele percebeu a mulher que perdeu e agora tá correndo atrás.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

=Josi Puchalski=

Que mania chata nós temos de julgar as pessoas sem conhecê-las mais de perto, não? Digo, "nós" porque ninguém é livre de preconceito. É óbvio que já estive do outro lado, apontando o dedo, sendo chata ou preconceituosa. Mas a cada dia que passa tento julgar menos os outros, seja qual for o motivo. Enfim, essa obrigação de parecer saudável, feliz e perfeito o tempo todo me dão um enjôo danado. Acho que anda faltando respeito com a individualidade de cada um. Eu, pelo menos, aprecio muito as singularidades e procuro não jogar pedra no telhado dos outros, pois todos (inclusive o meu) são feitos de vidro. 




Eis que Eu (o Senhor) estou contigo e te guardarei por onde quer que fores. (Gn. 28-15)


Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É aproveitar ao máximo possível todas oportunidades maravilhosas que aparecem ao longo do caminho, chamado vida!


Existem momentos na vida, que é necessário excluir pessoas, apagar lembranças, jogar fora o que machuca, abandonar o que nos faz mal, se libertar de coisas que nos prendem, olhar para frente e enxergar a dimensão de caminhos ao nosso redor ao invés de insistir sempre no mesmo erro e na mesma dor. Aprenda a gostar de você, cuidar de você e principalmente gostar de quem também gosta de você. Todos nós temos o tal livre arbítrio, sempre tem dois caminhos, basta você saber escolher. Αgora só resta aproveitar a vida intensamente porque nunca temos certeza do amanhã.


A dignidade não está nas roupas que vestimos, mas nos atos que somos capazes de ter. Nas maiores dificuldades, temos de ser humildes, para recomeçar. E nas grandes vitórias ainda precisamos saber ganhar-las com simplicidade. Precisamos de humildade para errar e pedir desculpas. Humildade por saber de menos e por saber demais. Para pedir e para receber.

Não tenho culpa se meus dias têm sido completamente coloridos e os outros cismam em querer borrar as cores. Não tenho culpa se meu sorriso é de verdade e acontece por motivos bobos, mas bem especiais. Não tenho culpa se meus passos são firmes. Não sou perfeita... Eu tropeço e caio de vez em quando, aliás, eu caio muito. E no meu mundo mais lindo e completo não consigo entender a existência de algumas pessoas. Mas o mundo aqui não é dos mais justos mesmo... Compreendo. Mas mesmo assim, eu tenho bastante lápis de cor, e empresto pra quem quiser colorir um pouco a vida.
Mas por favor: Não tentem borrar a minha, vão perder tempo ...