Google+ Followers

sábado, 28 de agosto de 2010

Sentimentos em palavras e assunto encerrado, não mais comentado.

  
Eu já conheço essa dor, e não me agrada em nada senti-la. Eu esperei isso por tanto tempo, e se não fosse pelo modo como tudo aconteceu, eu agora poderia estar irradiando felicidade. Eu estaria feliz, quer dizer, realmente feliz. Eu senti meu coração disparar de novo, senti meu corpo esquentar e se arrepiar ... porque você estava perto de mim, fazendo tudo o que queria que você fizesse de novo. Depois de tanto tempo, eu pude te ter perto de mim mais uma vez, era tudo o que eu queria. Podia ter parado o tempo ali. Não me importaria mais com nada, só com você e eu.


            Mas aconteceu tudo errado, foi tudo um erro. Não era pra ser. Caramba, não precisava ter sido daquele jeito. Na minha cabeça seria de um jeito mais calmo, sutil, verdadeiro. Eu tou com meu coração tão apertado e tão cheio de dor e temor ao mesmo tempo. Medo de não ter outra oportunidade, medo de que tudo isso não tenha passado de um breve momento provocado pelo excesso. Eu tou tentando não pensar muito nisso, na verdade, tou tentanto nem pensar. Eu não quero criar esperanças, nem um pouco; não quero ter um mínimo de expectativa. Eu não quero sentir nada. Eu não quero esperar nada. Porque sei que caso sinta alguma dessas coisas vai ser somente pra ficar na espera, aguardando você vir de novo ... e eu vou esperar muito tempo. E quando eu perceber que você não vem, eu vou me chatear e me magoar de novo. Mais uma vez.

          Eu quero chorar, colocar pra fora esses um milhão de sentimentos e pensamentos que fazem parte de mim nesse momento. Entretanto, parece não haver lágrimas para isso. Então a forma que eu encontro de me abater por isso é me deixar ser tomada pelo cansaço, pela falta de apetite, pela falta de sono, pela falta de vontade de continuar. É, eu não quero continuar se o final for pra ser como penso. Aliás, vai ser exatamente como eu penso. 

         De verdade, eu nem sei como ainda me deixo abater. Tá vendo o efeito que você tem sobre mim? Talvez seja por isso que eu chego a te odiar tanto, porque você tem de mim mais do que eu mesma tenho. Você tem tudo e um pouco mais. E eu sei que você nao presta, não vale o chão que pisa nem o prato que come; e mesmo assim eu continuo te querendo. Eu sei que você não gosta de ninguém - só de si mesmo -, e ainda assim eu continuo esperando, esperando o dia que talvez alguem consiga despertar algum sentimento em ti. Eu sabia que me apaixonar por ti seria pedir pra sofrer, e mesmo sabendo disso eu não consegui evitar. E dentre outros garotos tão melhores, eu fui escolher justo você, o pior de todos. E nem mesmo sabendo de tudo isso, eu nao desisto de você. Eu simplismente não consigo. Não consigo porque você mexe comigo de uma forma extraordinária; porque você faz meu coração bater, porque contigo eu sinto coisas jamais sentidas antes. E porque mesmo com o monte de defeitos que você tem, ainda assim você é o único que eu quero, quase perfeito aos meus olhos.

            Você não presta, não tem nada na cabeça e age como uma criança, você fica insuportável quando passa da medida, é um sem futuro, só gosta de brincar com os sentimentos alheios, você me chateia e me magoa ... e mesmo com tudo isso, sabe-se lá o porque eu continuo te querendo. E eu te odeio exatamente por isso, por te querer tanto; por me ver tão completamente em torno do teu mundo enquanto que você não tá nem ai pra isso. Eu te odeio por me fazer te querer tanto, te odeio pelo misto de sentimentos que você me traz. E por trás de tanto ódio, existe um querer e um gostar imenso. Mais do que palavras conseguem descrever. E eu me pergunto só: por quê? É..., por que você? Até quando? Por quanto mais tempo?

          Você veio de novo. Eu tou tentando nao esperar nada de ti, eu não POSSO esperar nada. Tou tentanto tirar isso tudo da minha cabeça. Entregue às mãos de Deus, o que tiver que acontecer vai acontecer. Mas que seja o melhor, por favor.

         Dentre tantas linhas mal escritas, é isso. Te senti de novo. Ninguém sabe a força que eu tiver que ter para poder resistir daquele jeito. Assim como ninguém sabe como eu saí dali com meu coração quase partido em mil e um pedaços, assim como ninguém sabe também o quanto custei a dormir, a noite mal dormida que tive e a falta de fome. É, tudo isso por causa daquilo. Tá vendo? Voce não pode brincar comigo. Não assim. Eu quero que você venha, mas quero que venha com o corpo, a alma e o coração. Não exijo que você largue mão de tudo, só quero que se você vier seja disposto de verdade, e que venha pra tentar e não me fazer chorar, nem me machucar. Não é pedir demais, é?

        Mas como eu mesma disse, não espero nada. Acabo de colocar em palavras quase tudo que estava preso aqui dentro desse meu coração. Não chorei, mas liberei meu pranto por meio desse amontoado de frases. E serviu, me sinto melhor agora. E pra mim, o acontecido ontem vai ser só parte de um sonho; um sonho e nada mais.
Sentimento ocultado, e assunto encerrado.
 
Nada ocorreu. Tudo normal. Não tenho esperanças.
Continuo minha vida, da mesma forma de antes.
Porque um gesto não pode atrapalhar o quão eu já havia melhorado.
Me convenço. 
Ergo minha cabeça e continuo seguindo. 
Assunto encerrado!
 

Nenhum comentário: